Oficialmente noivos

Hora de compartilhar alegria! Porque, MEU DEUS, como eu estou feliz! Desde ontem eu sou, oficialmente, noiva na Suíça. Deixa eu contar passo a passo de toda a burocracia.

Quando eu a o Amir decidimos morar junto e que seria na Suíça, eu fui buscar saber o que era necessário para realizar um casamento lá. Por que casamento sempre foi a nossa opção e não a falta dela. Não vou me casar somente para ficar legal aqui, vou me casar porque nós dois queremos isso há muito tempo. Eu tinha duas opções: vir para a Suíça com o visto de turista ou com um visto de casamento. O primeiro me deixa ficar aqui por 90 dias (desde que eu tenha ficado fora da Suíça por 6 meses) e o segundo por 6 meses. O primeiro não da garantia de casamento, pois alguns cantões não aceitam o casamento entre local e turista. O segundo não só aceita, mais como se propõe a fazer tudo dentro dos 6 meses, afinal o visto é pra isso mesmo. Bom, eu vim com o visto de turista. Mas porque? É, quando eu descobri que existia uma permissão para vir e casar eu achei o máximo e pensei porque cargas d’água alguém vai como turista e corre o risco?

Quando você namora dois anos e meio a distância, a última coisa que você quer é ficar mais tempo longe de quem ama, certo? A opção do visto mais garantido pode demorar até 4 meses para ser aceito. No caso eu faria tudo no Brasil, mandaria documentos para São Paulo, receberia outros, mandaria documentos para a Suíça e blablablá e enquanto isso o consulado “segura” meu passaporte, ou seja, eu não poderia sair do país antes da permissão para casar estar pronta. Tudo que eu não queria era ficar longe do Amir, mesmo que eu tivesse que pegar o caminho mais arriscado. Lá vai eu pra Suíça, com visto de apenas 3 meses.

Logo que cheguei aqui fui atrás dos meus documentos (certidão de nascimento e estado civil) traduzidos, pois mandei tudo antes para a tradutora, para garantir tempo. No dia 4 fomos, eu e Amir, até o lugar responsável pela realização de casamentos, sente só o nome do lugar ZIVILSTANDSAMT (oi linda, pra que tanta consoante?) Chegando lá, falamos que queríamos casar, e o mocinho que nos atendeu, que parecia não saber de muita coisa, foi buscar a lista dos documentos que eu precisava. Oi? Já tenho tudo fofo. Ele ficou surpreso e passou tudo para outra pessoa. Já essa outra mocinha que nos atendeu só me aborreceu. Os papéis estavam todos certos, organizados, traduzidos, autenticados, mas ela disse que não sabia se o juiz de lá iria aceitar o matrimônio, pois eu estava com o visto de turista e deveria ter vindo com o visto de casamento, porque 3 meses não seria suficiente para preparar tudo para o casamento e esperar pela minha permissão B (visto que recebo depois do casamento). Eu insistia em perguntar se ela realmente achava que um simples casamento não poderia ser feito em TRÊS MESES. Quanto estresse. Fiquei toda nervosa, achando que nada iria dar certo e o Amir dizia que a mocinha era só uma funcionária que não sabia de nada e muito menos decidia alguma coisa. Pior, o juiz que iria ver meus documentos e decidir tudo estava de folga e só voltada uma semana depois. Não tinha muito o que fazer, mas esperar. Preenchemos o formulário de casamento e como queria meu nome de casada. Pra manter o nome completo ficaria muito grande, só o sobrenome dele eu não queria, então achei que Azevedo Elmallawany ficaria bom.

No dia 12 recebemos um e-mail dizendo que eles iriam olhar meus documentos, e se tudo estivesse dentro dos conformes, eles nos escreveriam novamente para marcar um horário para conversar. Oba eu pensei, pelo menos eles vão “olhar” meus documentos, e como eu sei que está tudo certo, tudo que eles pediram esta lá, não haverá problemas. Eu relaxei.

Dois dias depois, outro e-mail. Eles viram um ERRO nos meus documentos. Na declaração de estado civil e passaporte minha cidade natal é Armazém, mas na certidão de nascimento fui registrada em Gravatal. Ai não! eu pensei. Como assim? Quem? Onde? Quando? Gravatal não tem hospital, por isso nasci em Armazém, tipo assim, 5 minutos de carro! Devido ao erro, eu deveria ir até a ZIVILSTANDSAMT e explicar o erro ou levar outra certidão com a informação correta. Erro 2: meu sobrenome Azevedo Elmallawany não poderia ficar desse jeito. Ou o nome completo ou só o do Amir. Corri pra lá. Expliquei que nasci em uma cidade e fui registrada em outra e blablabla. Eles me pediram para escrever tudo isso em um papel e assinar, como prova que eu estava ciente que minha cidade Natal é Armazém e não iria responsabilizar ninguém no futuro por qualquer erro. Quanto cuidado. “Erro” 1 e 2 resolvidos! No mesmo dia marcamos a data para a tal entrevista.

Dia 19, terça-feira, retornamos ao local de nome difícil com a tradutora. Em uma sala simples, sentamos à mesa com o juiz super tranquilo e simpático. Eu e o Amir recebemos um mesmo formulário. A tradutora ia lendo e eu preenchendo. Eu, Karina blablabla, nascida no dia tal quero me casar com o fulado de tal que nasceu dia tal e blablabla… Eu confirmo que nunca me casei antes, que não estou casada em nenhum lugar do mundo, que não estou obrigando ninguém a se casar comigo, nem fui obrigada, também não sou parente (de forma alguma) do homem que quero me casar. Confirmo que sei das responsabilidades (10 anos de prisão) se estiver infringindo a lei suíça. Tudo assinado, o juiz fez umas perguntas estranhas do tipo “vocês preferem manter o casamento em segredo até o dia?” e umas simples como “vão trocar alianças?” “a data escolhida tem algum motivo especial?” tudo para que ele possa se preparar no dia da cerimônia. Depois de uma hora e meia de muita conversa e decisão, era hora de marcar a data. DIA 5 DE AGOSTO ÀS 11:15. O juiz nos cumprimentou e disse que para a lei suíça eu estava, a partir daquele momento, noiva. E durante 10 dias eu sou proibida de me casar com qualquer outra pessoa em qualquer outra lugar.

Acho que foi o maior post da vida do blog. Isso acontece quando a pessoa aqui não posta com tanta frequência. Mea culpa! A respeito da burocracia, isso é tudo. Melhor e muito mais rápido do que eu esperava. Espero que todos estejam tão felizes como eu. Notícias sobre os preparativos em breve!

Küsse Küsse